Borbulhantes

A Globo tem William Bonner mas também tem Chico Pinheiro

Hildegard Angel hilde@jb.com.br, Jornal do Brasil
Borbulhantes
Hildegard Angel

VAZOU E, EM DOIS segundos, viralizou, um áudio de Chico Pinheiro sendo Chico Pinheiro por inteiro. E que foi transformado, à revelia dele, em vídeo, devidamente editado, com aquela vinheta de Plantão da Globo, e postado no YouTube, para susto do jornalista... NO ÁUDIO, que deveria fi car circunscrito ao seu grupo Coala, de What’sApp, ele diz com toda a sinceridade o que pensa da prisão de Lula - “foi a realização do fetiche DELES”... NESSE “DELES”, embutidos a mídia, o Judiciário, os coxinhas etc... A IMPRESSÃO DE quem escuta é de que, no sábado, ele saiu do estúdio pau da vida, após de ter sido escalado para dar a notícia daquela prisão quando chegou a se emocionar, chegou em casa emocionalmente destruído, se serviu de uma dose de uísque e saiu gravando áudios com suas impressões sobre Lula e este momento brasileiro... CHICO CANTOU - e bem - por um minuto a canção Pesadelo, do MPB4, e a letra é mais do que um recado. Confiram: “O muro separa, uma ponte une / Se a vingança encara, o remorso pune / Você vem me agarra, alguém vem me solta / Você vai na marra, ela um dia volta / E se a força é tua, ela um dia é nossa / Olha o muro, olha a ponte, olhe o dia de ontem chegando / Que medo você tem de nós, olha aí”... E RECOMENDOU à Ana Cañas que a gravasse... CAÑAS, VOCÊS sabem, está se apresentando na Resistência em Curitiba, o acampamento dos apoiadores do ex-presidente... O QUE ATÉ me fez lembrar os artistas, que iam cantar para os pracinhas, nos fronts da Segunda Guerra, mas isso é outra história... ELE COMENTOU O conforto da sala ocupada por Lula na PF, que deve ser melhor que as em que ele dormiu em seus tempos difíceis, transmitiu mensagem de força, e agradeceu aos ‘coalas’, que são os companheiros de seu grupo do zap, que reúne 200 pessoas... ATÉ QUE ALGUÉM que não é do grupo telefonou pra perguntar se a voz era dele mesmo, e aí bateu a outra voz - “caramba!”... AS PAREDES do What’sApp têm ouvidos... INDIGNADO COM A traição e a quebra de confi ança, pediu uma resposta ao grupo, e este saiu apelando a todo mundo que postou que derrubasse o tal áudio... TEM JORNALISTA até mentindo que o áudio é fake news. Mas não é... ESSE GRUPO Coala, se chamava Coalizão, e foi criado por um ex-assessor de imprensa do PMDB, que todos conhecem por Nelsinho, para juntar jornalistas, comunicadores e artistas engajados, como Manno Góes, Gregório Duvivier e Tico Santa Cruz, em torno de uma espécie de observatório do impeachment de Dilma, na época do processo... PORÉM, LOGO Nelsinho encheu o grupo com nomes do PMDB. Há registros de jornalistas da esquerda que debandaram, como Pablo Villaça, Renato Rovae, Rodrigo Vianna, porque não podiam criticar o Temer ou o PMDB, outros foram ‘debandados’, e outros, como o José de Abreu, saltaram fora... VERDADE É QUE, no Coala, o que se fala, geralmente não vaza. Porém, se tratando do Chico Pinheiro (o titular do Bom Dia Brasil e eventual apresentador do Jornal Nacional!) seria muita ingenuidade achar que não ia vazar... AGORA, SURGEM as especulações sobre como reagirá a Globo. O que mais escuto é que ela “não fará movimento brusco, deixará na geladeira e depois se livrará”... POIS EU, QUE trabalhei com Ali Kamel e sei de sua inteligência extrema, não creio que se passará assim... IMAGINO QUE KAMEL verá nesse episódio uma oportunidade de provar isenção, pois sabemos que Chico Pinheiro, naquele elenco do jornalismo, se destaca como um dos raros que não sobem o tom nem rangem os dentes, para agradar o dono, quando se referem ao PT... CHICO MANTÉM sua postura e sua dignidade... É A PROVA viva de que você pode trabalhar na Globo sem trair seus princípios... ISTO É: a vassalagem é uma opção, não uma imposição... CHICO PINHEIRO é praticamente um troféu para evidenciar que a Globo também pode ter um jornalismo independente... E MAIS DO QUE nunca a Globo precisa recuperar a imagem de seu jornalismo, que se consolida como domesticado e de opinião única... 

Chico Pinheiro, uma referência do bom jornalismo brasileiro

A mulher de Bath

Foram três estreias teatrais simultâneas. No Leblon, no Teatro XP Investimentos, dirigida por Amir Haddad, Maitê Proença estreava a temporada carioca de A Mulher de Bath, monólogo em que interpreta uma mulher experiente, bem humorada e franca relatando sua vida sexual, envolvendo cinco maridos, paixões rancores e vinganças... No teatro Fashion Mall, em São Conrado, a peça Mordidas marca a estreia como atriz da cantora Zélia Duncan, e no mais difícil dos gêneros, a comédia satírica. De autoria do argentino Gonzalo Demaria, com versão brasileira de Miguel Falabella e direção de Victor Garcia Peralta, o espetáculo reúne um elenco de atrizes de peso, Ana Beatriz Nogueira, Regina Braga, Luciana Braga... Enquanto no Teatro Vanucci, na Gávea, e estrelado por Françoise Forton, volta aos palcos cariocas o musical Estúpido Cupido, de Flavio Marinho. Com tintas do momento carioca depois da récita, quando a atriz Carla Diaz foi assaltada por bandidos que atiraram pedras contra o para-brisa de seu carro...

Três estreias teatrais simultâneas