Carnaval 2018

Acadêmicos do Tatuapé é bicampeã do carnaval de São Paulo

Jornal do Brasil

Acadêmicos do Tatuapé conquistou o bicampeonato no carnaval de São Paulo. A escola levou para a avenida o enredo "Maranhão, os Tambores vão Ecoar na Terra da Encantaria", que contou a história do estado a partir das particularidades de seu povo, da riqueza cultural, das festas típicas, como o Bumba Meu Boi.

Wagner Santos foi o carnavalesco responsável pela apresentação campeã, que contou com 3.200 componentes.

O título só foi garantido na leitura da última nota do último quesito, e no critério de desempate. A escola, que venceu pela primeira vez em 2017, somou 270 pontos e fechará o desfile das campeãs na próxima sexta-feira (16).

Mocidade Alegre, Mancha Verde, Tom Maior e Dragões da Real completaram o top 5. As agremiações Unidos do Peruche e Independente Tricolor foram rebaixadas.

Um destaques do desfile foi a alternância, pela bateria da agremiação, da batida do samba para a batida do reggae, ritmo muito presente no maranhão nas últimas décadas, o que levantou o público nas arquibancadas. A riqueza de detalhes das fantasias e as alegorias dos carros chamaram a atenção.

Tatuapé levou para a avenida o enredo "Maranhão, os Tambores vão Ecoar na Terra da Encantaria"
Tatuapé levou para a avenida o enredo "Maranhão, os Tambores vão Ecoar na Terra da Encantaria"

“No Mar! Foi no balanço do mar, Que o sonho aportou na ilha da magia, Lá em palmeira onde canta o sabiá, O sol namora a beleza do lugar, Cenário de poesia, Tantas batalhas nesse torrão, Herança de luta, cultura e amor”, diz parte do samba-enredo, que homenageou também o poeta maranhense Gonçalves Dias.

História

A escola surgiu em 1952, com o nome Unidos da Vila Izabel. Chegou ao terceiro lugar do carnaval em 1969 e 1970, mas em 1986 encerrou as atividades por cinco anos.

Em 1991, a escola iniciou um processo de resgate que incluiu a sucessiva promoção pelos diversos grupos do carnaval até retornar ao Grupo Especial em 2004. Caiu em 2006 e retornou à elite em 2013 para permanecer de vez.

Em 2017, a agremiação havia vencido o carnaval paulistano com o enredo Mãe África Conta a Sua História: do Berço Sagrado da Humanidade à Abençoada Terra do Ouro.

As notas foram lidas nesta tarde no Sambódromo do Anhembi.