Jornal do Brasil

Comunidade em pauta

Brasil, qual será o seu amanhã? 

Davison Coutinho, Jornal do Brasil

“O que está acontecendo no Brasil? ”, foi uma das frases que li, ontem, em uma rede social. Uma questão difícil de ser respondida, mas que com uma reflexão nos permite entender que está tudo errado, desde a escolha de nossos representantes. A democracia aqui é uma farsa, não vivemos em uma democracia. Como podemos chamar de democracia um país onde quase todos políticos se elegem com caixa 2?

Em 2016, se armou todo um espetáculo com objetivo de retirar a Presidente da República. Os diretores desta peça alegavam o combate à corrupção, prometiam um novo Brasil, um país nos trilhos. Sem defender ou acusar, retomo aqui minhas opiniões daquela época, reafirmando que os objetivos do impeachment eram outros. Ou eram esses os trilhos?

Enganou-se quem se deixou fazer de pato, vestiu a camisa da CBF e foi desfilar nas ruas pedindo o fim da corrupção. Faço uso do bordão do compadre Washington “sabe de nada, inocente!”. Agora, se mostram surpresos com as delações que acusam o atual presidente. Novidade, não é?

Estamos em um país com muito político corrupto nas mais altas instâncias, basta olhar a linha sucessória da presidência, do presidente aos possíveis sucessores na Câmara e no Senado, todos envolvidos, investigados em esquemas de corrupção pela operação Lava Jato. Como podemos fazer o Brasil voltar a crescer quando seus líderes são os mesmos que o afundaram? 

O presidente da República é gravado tentando comprar o silêncio de Eduardo Cunha, uma vergonha. Ele nega, é claro. Se fosse um pobre, bastava ser apontado por um acusador que na hora era preso, mesmo sem provas. O senador Aécio Neves é citado como suposto destino de propinas milionárias, e mesmo assim não é preso.

A justiça deve sequestrar os bens de todos esses acusados, e prender de verdade. É o mínimo que se espera da justiça, uma vez que estes continuam a gozar de seus luxos, enquanto os pobres pagam com suas vidas por toda roubalheira.

E mesmo com essas acusações, não há nada a comemorar. O que comemorar sabendo que se Temer cair, é Rodrigo Maia quem assume a presidência? E se não for ele, é o presidente do Senado, também investigado. Se não forem algum desses dois, pode ser uma eleição indireta, onde os mesmos deputados e senadores (vários acusados pela operação Lava Jato) é quem vão decidir sobre o novo presidente. Enfim, não há nada a comemorar. 

A fila do desemprego continua a crescer. Os trabalhadores, chefes de famílias, favelados continuam a sofrer os efeitos da crise que prejudica os que mais precisam. Universidades, escolas e hospitais sem verba para funcionamento. Os direitos sendo cada dia mais retirados. Tudo isso reflete no aumento da violência. 

Brasil, qual o seu amanhã? 

* Davison Coutinho, morador da Rocinha desde o nascimento. Bacharel em desenho industrial pela PUC-Rio, Mestre em Design pela PUC-Rio, membro da comissão de moradores da Rocinha, Vidigal e Chácara do Céu, professor, escritor, designer e liderança comunitária na Comunidade