Jornal do Brasil

Cultura

Warner Itália suspende parceira com diretor acusado de abuso

No entanto, filme 'Poveri ma richissimi' será exibido

Agência ANSA

Após o diretor italiano Fausto Brizzi ser acusado de assédio e/ou abusos sexuais por 10 atrizes, a Warner Bros Itália confirmou que suspendeu "qualquer futura colaboração" com o cineasta.    

No entanto, a empresa manteve o lançamento do filme "Poveri Ma Richissimi", planejado para o dia 14 de dezembro, e que foi dirigido por Brizzi, por ser um "resultado do trabalho de criatividade, do trabalho e da dedicação de centenas de mulheres e homens - do cast à produção".    

Na nota divulgada nesta terça-feira (14), porém, a Warner destaca que toda a divulgação e atividades de promoção do filme "não será associada" à imagem do diretor.    

"A Warner Bros. Enterteinment Italia leva muito a sério qualquer acusação de moléstia ou abuso e se compromete firmemente para que o ambiente de trabalho seja um lugar seguro para todos os seus dependentes e colaboradores", finalizou a nota.    

Brizzi foi alvo de uma dezena de denúncias durante o programa "Le Iene" durante o fim de semana. Ele negou as acusações apresentadas, mas segundo a produção do programa, mais uma dezena de denúncias chegou após a veiculação da matéria.