Futebol & Cia.

A lista é boa. Mas com ressalvas

Jornal do Brasil
Futebol & Cia.
Renato Mauricio Prado

Saiu a lista de Tite, que pode ser considerada boa mas, confesso, há pelo menos três nomes que eu não levaria à Rússia: o goleiro Cássio (acho Vanderlei, do Santos, bem superior), o meio-campo Fred e o atacante Taison, ambos jogando no Shakhtar Donetsk, da Ucrânia, onde se pratica um futebol de segunda categoria. 

No lugar deles, preferiria dois jogadores do Grêmio que vem desequilibrando desde o ano passado: Arthur e Luan. O nível do futebol brasileiro, é verdade, também está longe de ser de ponta, mas ainda assim creio que a dupla gremista é superior tecnicamente e seria mais útil à seleção brasileira. O volante do Grêmio, entretanto, foi diagnosticado, ontem, com uma lesão muscular que o afastará dos treinamentos por três semanas. Isso pode ter causado a preferência de Tite por Fred. 

Além desse trio, dois outros jogadores também não me agradam muito, mas entendo suas convocações: Fagner (lateral violento e limitado) e Renato Augusto (que, depois que foi para a China cai de produção a cada convocação). Tite, porém, confia demais em Renato e acha que poderá recolocá-lo em forma, no período de treinamentos pré-Copa. Já Fagner, beneficiou-se da contusão de Daniel Alves e da carência que existe na posição. Mas também está voltando de contusão... Ambos devem começar os treinamentos na reserva. 

O time titular, ao que tudo indica, será formado por Alisson, Danilo, Th iago Silva, Miranda e Marcelo; Casemiro, Paulinho, Philippe Coutinho e Neymar; William e Gabriel Jesus. Uma formação extremamente ofensiva, que, diante de adversários mais fortes, pode ser modificada para reforçar o meio-campo, com a entrada de Fernandinho e a saída de Coutinho ou William. O desempenho dessas duas formações, nos amistosos antes da Copa definirá o onze da estreia contra a Suiça.

Quem lembra? 

E William José, Talisca e Malcom, hein? Nem nos amistosos para os quais foram convocados, entraram. Na lista da Copa, então... Mas seus empresários adoraram aquelas convocações.

Guerrero fora da guerra

 Devastadora, no Flamengo, a notícia de que Paolo Guerrero foi suspenso por 14 meses e está, portanto, fora dos jogos que poderia fazer, ao menos até o fim de seu contrato, e também da Copa do Mundo. Na derrota do trágico mistão de Barbieri para a Chapecoense, ele foi dos poucos que se salvaram, marcando um gol e fazendo, com a categoria habitual, o papel de pivô. Sua carreira no rubro-negro, porém, parece ter chegado ao fim. 

O contrato atual termina em 10 de agosto e, diante da suspensão de mais oito meses (além dos seis já cumpridos), não há mais disposição para renová-lo. Já se fala até em ir ao mercado contratar mais um centroavante. Bobagem. Ele está lá mesmo no Ninho do Urubu e é melhor que Henrique Dourado e Lincoln. Chama-se Vítor Gabriel, artilheiro do Fla na última Copinha. Está mais do que na hora de levá-lo para o elenco profissional.

Castigo aéreo

 Impressionante. O Fluminense foi muito melhor que o Botafogo, no primeiro tempo, mas as defesas de Jefferson e um gol de cabeça de Rodrigo Lindoso impediram que o tricolor fosse para o intervalo com a vantagem que merecia – o placar ficou em 1 a 1, com um gol de Pedro para o Flu. Após o intervalo, o alvinegro equilibrou um pouco mais o jogo e, novamente numa bola aérea, conseguiu a vantagem (dessa vez, com gol de Kieza). A partir daí, apesar de o time de Abel ter voltado a criar diversas oportunidades para marcar, Jefferson garantiu os três pontos para o Glorioso. Atuação de gala do goleiro.

Hamilton absoluto 

Após um início de campeonato espetacular para a Ferrari e preocupante para a Mercedes, os carros prateados de Lewis Hamilton e Valtteri Bottas voltaram a dominar o circo da velocidade e o tetracampeão ganhou, em Barcelona, o segundo GP seguido, abrindo boa vantagem na ponta do campeonato. A próxima corrida, em Mônaco, teoricamente, favorece a Ferrari e a Red Bull. Para que o campeonato pegue fogo, o ideal seria uma vitória de Sebastian Vettel no principado.

Ameaças no saibro 

Em Madrid, Dominic Th iem ganhou de Rafael Nadal, com autoridade, mas acabou batido, da mesma forma, por Alexander Zverev, na final. Serão eles capazes de desafiar o Rei do Saibro, em Roland Garros? Os três fazem, esta semana, em Roma, a última prévia do Aberto de Paris. Continuo a apostar todas as minhas fichas no Miúra. Em cinco sets, na Phillippe Chatrier, é ruim de ganhar do espanhol.

Surra 

Não deu nem pra saída. No primeiro jogo da final da conferência Leste, o Boston Celtics surrou o Cleveland Cavalliers (108 a 83). LeBron James, entretanto, diz que tal derrota não o abalou: “Preocupação zero”, disparou quando lhe perguntaram como se sentia após o revés. Não sei, não. King James é um monstro, capaz de autênticos milagres, mas o Celtics me parece muito mais time. Hoje, haverá a segunda partida, ainda em Boston, a partir de 21h30m (horário de Brasília). A ESPN HD trasmite.

Até quinta-feira 

Excepcionalmente, por causa da convocação da seleção brasileira, escrevi esta coluna, em meu dia de folga. Por isso, não escreverei amanhã. Voltamos a conversar na quinta-feira.