Futebol & Cia.

Os caminhos do Brasil

Jornal do Brasil
Futebol & Cia.
Renato Mauricio Prado

Os dois melhores elencos das quartas de final pertencem à França e ao Brasil. Isso não quer dizer que um dos dois será campeão. Se o torneio fosse de basquete ou vôlei, certamente, sim. Mas é futebol. Esse esporte apaixonante e imprevisível que permite que a Coreia do Sul sapeque 2 a 0 nos alemães campeões mundiais e que o Japão dê um sufoco e tanto na Bélgica, que disputa com a Inglaterra, o posto de terceiro time mais talentoso da fase atual.

Vencer os belgas, amanhã, os franceses, na semifinal, e os ingleses, na grande final, tornariam gloriosa a campanha do hexa, até agora forjada em jogos duros contra adversários sem expressão no cenário mundial.

Parêntesis obrigatório: e houve quem dissesse que a Suíça era uma potência emergente, quinta no ranking da Fifa (aquele que não significa bulhufas), invicta a não sei quanto tempo etc. Nunca passou de uma baba, que acabou eliminado por outra (a Suécia), numa pelada de lascar.

Voltando às projeções, a verdade que a seleção de Tite terá, amanhã, a sua primeira e decisiva prova de fogo nos gramados russos. Confesso que a Bélgica já me meteu mais medo. Na dramática vitória de virada sobre o Japão, alguns de seus principais jogadores, como De Bruyne, Kompany, Lukaku, Mertens e o goleiro Courtouis tiveram atuações individuais abaixo da crítica. Das estrelas belgas, só Hazzard jogou um futebol à altura do seu justo prestígio. Craques, entretanto, não costumam jogar mal duas vezes seguidas. É aí que mora o perigo.

ARRIBA, URUGUAI!

Confirmada a ausência de Cavani, o desafio do Uruguai diante da França torna-se ainda mais gigantesco. Mas se você sonha com um caminho mais tranquilo para o Brasil, torça muito pela Celeste. Nas eliminatórias sul-americanas, ainda com Dunga, empate em 1 a 1, na Arena Pernambuco e goleada de 4 a 1, já com Tite, no Centenário.

DESSERVIÇO

Ronaldo e Rivaldo prestam um desserviço ao futebol brasileiro ao saírem em defesa do teatro rocambolesco de Neymar a cada falta que sofre. Rivaldo, aliás, protagonizou uma das cenas mais patéticas do penta, ao levar uma bolada nas pernas e cair estrebuchando, com as mãos na cara, como se o chute do jogador turco o tivesse atingido no rosto.

BURRICE OU?

Com os jovens Lincoln e Victor Gabriel pedindo passagem, além do recém-contratado Uribe e Dourado, o Centro de (des)inteligência do Flamengo quer pagar uma grana preta por um holandês veterano, que se escondia no futebol turco? Dá pra desconfiar das reais intenções embutidas nessa história...