Jornal do Brasil

Heloisa Tolipan

Flores para que te quero: uma aula de decoração florida para seu 2017

Botânico especializado em jardinagem mostra o caminho das pedras...

Jornal do Brasil

Verão, férias, início de ano é um período festivo, alegre, que pede uma decoração à altura da aura do momento. Nesse sentido, as flores são ideais para ornamentação. A seguir, a coluna passa a palavra para o designer de interiores Newton Lima ensinar o caminho das pedras com arranjos mil.

O que te inspira? Para uns, essa “simples” pergunta vem carregada de subjetividade, já outros teriam uma resposta imediata na ponta língua. No meu caso foi um conceito construído, experimentado, e que já teve diversas definições ao longo do tempo. Comportamentos são inspiradores por seus exemplos. Viagens literalmente agregam muito na nossa bagagem. Leituras nos transportam para um universo particular de criação dos cenários e personagens. Com fotografias e revistas lapidamos nosso senso comparativo em torno daquilo que nos seduz. A entrada massacrante da tecnologia nas nossas rotinas, somos quase que abduzidos pelo excesso de informações. Numa tentativa inconsciente de selecionar somente o que é do nosso interesse, paramos em algumas imagens. No meu caso? Flores.

Tem ou quer ter plantas em casa?

Antes de abordarmos os arranjos é de fundamental importância termos algum conhecimento sobre as plantas em si – quais suportam luz solar, quais se desenvolvem melhor à sombra, que tipo de planta tolera um ambiente refrigerado? Quem nunca investiu em um vaso ou arranjo bárbaro e que durou pouco? Qual a maneira correta de se adubar uma planta?

Para minimizarmos problemas e dúvidas como essas, fui atrás de um botânico especializado em jardinagem que tem um profundo conhecimento da flora brasileira, com diversos artigos já publicados no Brasil e exterior – Thiago Meneguzzo. Tomem nota:

NL – Thiago, quais fatores devem ser mandatoriamente considerados no cultivo de uma planta em casa?TM – As plantas precisam de um ambiente adequado para se manterem e desenvolverem. Plantas são fáceis de cuidar e se mostram gratas ao que fazemos a elas. Não existe receita pronta, afinal, cada espécie tem suas peculiaridades. Ainda assim, existem princípios que podem ser aplicados ao cultivo de plantas de uma forma geral. Devemos sempre ter em mente cinco coisas básicas para um cultivo bem-sucedido: umidade e nutrientes no solo/substrato, luminosidade, temperatura e umidade do ambiente.

NL – Qual é a sua orientação quanto a rega das plantas?TM – O solo ou substrato (= terra ou mistura preparada) é onde a maioria das plantas fixam suas raízes para se estabilizar, além de absorver água e nutrientes. Geralmente espécies de folhas e caules finos e tenros demandam maior umidade que espécies de folhas e caules grossos e duros, portanto devem receber regas mais frequentes via solo. Não é possível dizer quantas vezes por semana uma planta deve ser regada. Geralmente não se deve deixar o solo secar totalmente entre regas. Plantas que exigem muita umidade nos avisam dramaticamente com folhas murchas que o momento da rega já passou há muito. Suculentas e cactos precisam ser regados moderadamente porque quando muito molhados a umidade excessiva pode apodrecer as raízes, mas também não podem ser não abandonados a ponto de murcharem e pararem de crescer.

NL – Então o segredo está na frequência das regas?

TM – Umidade e temperatura do ar estão diretamente ligadas a frequência de regas. Plantas geralmente se desenvolvem melhor em ambientes quentes e com ar mais úmido. Locais ou períodos mais secos e quentes precisam de mais regas para compensar a falta de água. Aparelhos de ar-condicionado são grandes vilões de arranjos e plantas de ambientes internos, especialmente quando estão floridos. Para poder diminuir a temperatura ambiente essas máquinas reduzem drasticamente a umidade deixando o ambiente muito seco. Flores têm pouquíssima proteção contra desidratação, por isso é inevitável que durem pouco nesses locais. O ideal é não deixar plantas em ambiente com condicionador de ar. Se isso não puder ser feito, elas devem ser posicionadas o mais longe possível das saídas e correntes de ar.

NL – O mercado oferece inúmeros adubos e nutrientes com promessas milagrosas. Podemos confiar?

TM – Os nutrientes são muito importantes para crescimento e floração. Plantas compradas em vasos já vem com dosagem adequada de nutrientes no solo. Adubação suplementar geralmente é feita antes da fase de crescimento, floração e frutificação. 

Ideias para cultivo de plantas em casa / Fonte: Casa Claudia
Ideias para cultivo de plantas em casa / Fonte: Casa Claudia

NL – Quais cuidados devem ser observados com relação ao ambiente onde a planta vai ficar em casa? Luminosidade, incidência solar direta…TM – As plantas produzem o próprio alimento a partir dos nutrientes do solo, do ar, da água e também da luz. Por isso a quantidade de luz é fator crítico. Plantas jovens, de folhas e caules finos e que demandem muita umidade geralmente precisam estar mais protegidas do sol forte, se não em sombra total. Ao contrário das plantas adultas, de folhas e caules grossos que toleram ou mesmo preferem sol direto. Plantas de meia sombra são as que precisam de quantidade intermediária de luz, necessitando ou tolerando sol direto em algumas horas do dia. Falta de umidade e excesso de luz são os motivos mais comuns para as plantas não se desenvolverem.

Flores sempre à mão

Quando vemos um arranjo incrível numa vitrine ou anúncio, somos inspirados pelo resultado final, mas o caminho percorrido até ali foi bastante longo, desde a complexa logística no transporte e conservação até a passagem pelas mãos talentosas de quem selecionou as flores e montou o arranjo. “Cada um no seu quadrado”, aqui não vamos focar no cultivo, mas na seleção correta das flores para cada ocasião ou arranjo que você deseja ter em casa ou num local especial.

Arranjo de Fátima Casarini para o Projeto Jardins I / Foto: Evelyn Muller
Arranjo de Fátima Casarini para o Projeto Jardins I / Foto: Evelyn Muller

Fátima Casarini foi sócia-fundadora da Flores Online, e deixou essa empresa em 2012 quando a mesma foi vendida para um grupo americano. Desde então segue à frente da Ramo Urbano, valendo-se de sua longa expertise com arranjos florais. Um dos diferenciais da Ramo Urbano está na utilização de máquinas similares aquelas de refrigerante e alimentos (Vending machines) como pontos de venda dos arranjos. 

“Essa inspiração veio da Europa, onde andamos e encontramos flores pelo caminho. No Brasil vimos as flores apenas em pontos de venda sem charme, como supermercados e feiras. Então traduzi esse anseio nessas máquinas onde os arranjos já estão prontos”, completa Fátima.

Vender flores frescas requer muitos cuidados. Fátima explica que esse desafio não é diferente das vendas pela internet, pelo contrário, as máquinas são refrigeradas e mantém as flores frescas por mais tempo. Visitas diárias ao CEASA ou fornecedores parceiros fazem parte da sua rotina no intuito de zelar pela qualidade dos arranjos, visto que as máquinas são abastecidas diariamente.

Flores de Fatima Casarini para Projeto Moema / Foto: Evelyn Muller
Flores de Fatima Casarini para Projeto Moema / Foto: Evelyn Muller

Na conversa, questionei quanto ao mapeamento do público-alvo numa fase prévia ao investimento nesse modelo de negócio, e Fátima teve a pronta resposta: “Nossos clientes são jovens que gostam de inovação e tecnologia e que valorizam as flores em casa, reconhecendo o valor agregado por elas num ambiente.”

Além das Vending Machines, a Ramo Urbano também oferece o serviço de assinatura de flores, que podem ser entregues no endereço cadastrado e na frequência acordada. Ah, essa opção ainda conta com a modalidade do cartão-presente! Waw!

Ramo Urbano
Ramo Urbano

Outro diferencial relevante são aulas particulares de arranjos, onde a Fátima conclui: “Na realidade não é uma aula de arranjos florais, sendo mais direcionada para quem quer trabalhar ou já atua no ramo de floricultura. Passamos uma tarde inteira juntos, onde todas as dúvidas são solucionadas, e aprende-se a fazer e embalar adequadamente diferentes tipos de buquês e arranjos. É um trabalho incrível, pois existe uma grande troca nesse processo, afinal, todos sempre temos muito a aprender.”

Ramo Urbano não para nunca e inova sempre! As máquinas ainda contam com opções de flores preservadas, com durabilidade estendida a partir de técnicas químicas aplicadas.