Informe CNC

Henrique Meirelles recebe propostas do empresariado do turismo

Candidato à Presidência foi o sexto a receber documento com sugestões de entidades

Jornal do Brasil

O empresariado do turismo está em contato com os candidatos à Presidência da República para entregar propostas que visam transformar o potencial turístico brasileiro em realidade. Henrique Meirelles foi o sexto candidato a receber o documento Turismo: +desenvolvimento +emprego +sustentabilidade, nesta quinta-feira, 7 de agosto, em São Paulo.

Para Meirelles, não se pode negar a importância do turismo brasileiro, que se destaca pelos atrativos naturais e culturais e ambientes diversificados, que vão desde cidades históricas até o Pantanal e a Amazônia. “Tudo isso representa uma oportunidade muito grande de investimento, além de retorno para o País, para a indústria, e, finalmente, para gerar empregos", afirmou Meirelles.

O trade foi representado no encontro pelo presidente do Cetur/CNC, Alexandre Sampaio (CNC); pelo presidente do Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil (FOHB), Orlando de Souza; e o secretário executivo do Cetur/CNC, Eraldo Alves da Cruz. Já receberam o documento: Jair Bolsonaro (PSL), em 3 de agosto; Ciro Gomes (PDT) e Geraldo Alckmin (PSDB), no dia 2 de agosto, no Rio de Janeiro; e em 31 de julho o encontro aconteceu com os candidatos Álvaro Dias (Podemos), em Curitiba; e Guilherme Boulos (PSOL), também no Rio de Janeiro.

O Documento

Vinte e cinco entidades e associações empresariais do turismo, reunidas no Conselho Empresarial de Turismo e Hospitalidade (Cetur), da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), elaboraram as sugestões ao poder público para impulsionar o crescimento do setor. “Precisamos de estratégias urgentes não só para incentivar, mas para possibilitar o mercado do turismo. Essa é a hora de deixarmos claro para o futuro presidente o que a indústria de turismo precisa para crescer”, afirmou Manoel Linhares, presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH Nacional).

O documento aponta caminhos para alavancar a indústria do turismo como vetor da retomada do crescimento econômico e da geração de empregos por meio de cinco pilares de ação: infraestrutura, promoção, gestão e monitoramento, segurança jurídica e competitividade. “Reunimos em um texto com linguagem objetiva e prática as principais reivindicações do setor empresarial do turismo brasileiro. Ele está sendo entregue a todos os presidenciáveis porque queremos reafirmar a importância que o turismo pode ter no desenvolvimento do Brasil, colaborando efetivamente com a economia brasileira”, destacou Alexandre Sampaio.

O que dizem os candidatos

O documento Turismo: +desenvolvimento +emprego +sustentabilidade destaca que os empresários querem continuidade nas políticas para o turismo, que devem ser encaradas como políticas de Estado e ter como premissas fundamentais a transparência e o monitoramento. As propostas foram bem recebidas pelos candidatos.  “O Brasil precisa viver um novo momento, e o turismo é um segmento que pode contribuir de forma decisiva em todos os aspectos da vida brasileira”, acredita o presidente do Brasil Convention & Visitors Bureau (Brasil CVB), Márcio Santiago.

O candidato à Presidência Álvaro Dias agradeceu a pauta e afirmou que, se eleito, vai estabelecer uma comunicação permanente com entidades representativas como as que compõem o Cetur/CNC. Já para Guilherme Boulos, o turismo deve ter tratamento diferenciado por conta das possibilidades de crescimento que pode gerar ao País, e destacou a necessidade de melhorar a malha aérea regional.

Geraldo Alckmin afirmou o compromisso com o setor que, por sua capilaridade, redistribui renda no País. “O turismo significa emprego, que é o que o Brasil mais precisa hoje, além de ser um setor estratégico que traz desenvolvimento de forma sustentável”, ressaltou. E Jair Bolsonaro enfatizou a necessidade de investimento em segurança para que o turismo tenha maior participação no Produto Interno Bruto (PIB). “Enquanto não tiver segurança, não teremos infraestrutura porque ninguém vai investir em algo que não vai dar retorno depois”, defendeu Bolsonaro. 

Presença de representantes do setor

Além dos já citados Alexandre Sampaio, do Cetur/CNC; Manoel Linhares, da ABIH Nacional; Márcio Santiago, do Brasil CVB; e Orlando Souza, do FOHB; as entidades foram representadas nos encontros pelos presidentes: Salvador Saladino, da Associação Brasileira de Turismo Receptivo Internacional (Bito); Angela Costa, da Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRJ); Sonia Chami, do Rio Convention & Visitors Bureau (Rio CVB); e o secretário executivo do Cetur/CNC, Eraldo Alves da Cruz.

Em Curitiba, acompanharam a entrega o presidente em exercício da Fecomércio-PR, Paulo César Nauiack, o presidente do Sindicato Empresarial de Hospedagem e Alimentação de Curitiba (Seha), João Jacob Mehl, e o vice-presidente da Federação Nacional de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares (FNHRBS), Marco Antonio Fatuch. O vice-presidente da ABIH-RJ, José Manuel Caamaño, também participou da entrega ao candidato Ciro Gomes. Já no encontro com Alckmin, estiveram presentes o deputado federal Otávio Leite (PSDB) e o economista Pérsio Arida, um dos idealizadores do Plano Real, ex-presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e do Banco Central.

A mesma pauta será entregue aos demais candidatos à Presidência da República.