Informe JB

Malandragem, dá um tempo

Jornal do Brasil
Informe JB
Jan Theophilo

Fecharam o paletó do dedo duro. A plenária do IAB – Instituto dos Advogados Brasileiros – aprovou anteontem, por unanimidade, apoio ao projeto de lei do deputado Wadih Damous estabelecendo que serão consideradas nulas as sentenças condenatórias sobre uso de drogas baseadas exclusivamente no depoimento de policiais. O projeto, que está tramitando no Congresso, pretende acabar com uma situação muito comum e perigosa na qual os policiais acabam muitas vezes juízes de sua própria atividade. Para se ter uma ideia da relevância da pauta, em 53,79% das condenações por tráfico de drogas no Rio de Janeiro, a palavra dos policiais foi a única prova usada pelos juízes para fundamentar suas decisões. Em 71,14% eles foram as únicas testemunhas dos processos. Os dados fazem parte da pesquisa Tráfico e Sentenças Judiciais – uma análise das justificativas na aplicação de Lei de Drogas no Rio de Janeiro, produzida pela Defensoria Pública e pela Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (Senad) do Ministério da Justiça, em fevereiro deste ano.

Ruim é o nome 

Além da enorme quantidade de réus, outro ponto que chamou a atenção na audiência de custódia dos 159 presos na operação contra a milícia na Zona Oeste do Rio, foi a grande quantidade de homens cujos nomes se iniciavam pela letra W. Foram 11, entre eles, Warley, Wendel, Wollace, Wladimir, Wanderson, Willian e Wallace. Como os presos estavam sendo chamados para depor por ordem alfabética, só para ouvir esse grupo a juíza levou cerca de 40 minutos. A audiência foi realizada por videoconferência terça-feira, no Tribunal de Justiça do Rio, e durou 15 horas, indo até de madrugada.

Estrela da morte 

Nos bastidores da política do Rio está pegando mal o jeito que Eduardo Paes se refere ao vice-governador Francisco Dornelles: Mestre Yoda.

Bodytech 

Também anda chamando a atenção, além da má forma física, a quantidade de cigarrilhas que Eduardo Paes tem fumado a cada reunião.

A cidade é uma zona 

Não está fácil para ninguém. Mas também a cidade não precisa virar esse mafuá de camelôs que estão espalhados por todos os lados. No fim de tarde,  no Centro, chega a ser difícil caminhar por certas ruas de tantas barraquinhas vendendo produtos diversos.

O amor é lindo

Ciro Gomes e Manuela D´Àvila estão de namoro firme. Se o papo continuar como está, periga virar casamento com a deputado estadual do PC do B saindo como vice na chapa de Ciro. 

Troca-troca 

Fidelidade partidária é com a deputada Andrea Zito. Na véspera do fim do prazo para troca de partidos, ela procurou a direção do PP perguntando se seria bem recebida no partido. O PP deu OK. Dois dias depois ela pediu desculpas e anunciou sua ida para o PSD, onde sonha em ser vice de índio da Costa na corrida para o governo. Índio não é contra. Desde que ela troque de sobrenome.

A postos 

E o Tatuzão hein? O Tunnel Boring Machine, nome oficial do equipamento que foi usado para levar o Metrô até a Barra, está desde abril de 2016 estacionado dentro de um túnel de acesso a 1,2 quilômetros da estação da Gávea. Aguarda o abençoado dia em que será convocado para novas missões. 

LANCE LIVRE

Anelise Pacheco, ex-diretora do Museu da República, assume dia 19 como nova diretora do Museu de Astronomia e Ciências Afins (Mast).  Será apresentado no Rio pela primeira vez, na próxima quarta-feira, às 10h30, no Instituto Cervantes, em Botafogo, o longa “Frágil Equilíbrio”, que traz histórias articuladas através das palavras de José Mujica, ex-presidente do Uruguai, abordando questões universais que ameaçam a humanidade.