Jornal do Brasil

Internacional

Após protestos, Trump quer retirar isenções fiscais da NFL

Atletas se ajoelharam durante a execução do hino nacional

Agência ANSA

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nesta terça-feira (10) que a Liga Nacional de Futebol Americano (NFL, na sigla em inglês) não deveria ter isenções de impostos, retomando suas críticas à entidade após os protestos de jogadores durante a execução do hino nacional.

"Por que a NFL recebe grandes isenções de impostos e ao mesmo tempo não respeita o nosso hino, bandeira e país? Devemos mudar a lei de impostos!" Trump escreveu em uma mensagem em sua conta no Twitter.

O questionamento do chefe de Estado é visto como uma resposta aos atletas da NFL que realizaram um protesto contra a discriminação racial ao se ajoelhar no campo durante a execução do hino nacional norte-americano.

Por sua vez, a NFL vai apresentar um plano nos próximos dias para resolver a polêmica com os jogadores. "Como muitos de nossos fãs, acreditamos que todos deveriam estar durante o hino.

Queremos resolver o problema junto com os jogadores", disse o comissário da Liga, Roger Goodell.

A NFL é a mais popular liga desportiva dos Estados Unidos e congrega 32 times. Ela abriu mão de isenção fiscal federal em 2015, de acordo com a imprensa local, mas Estados e localidades dos Estados Unidos ainda oferecem isenções de impostos à liga para atrais times e financiar estádios.

A demonstração silenciosa dos jogadores, que começou no ano passado em protesto contra a violência policial contra minorias raciais, foi adotada mais amplamente em reação aos comentários mais recentes de Trump, e mais jogadores passaram a se ajoelhar, enquanto outros têm preferido unir os braços.

No domingo (8), o vice-presidente norte-americano, Mike Pence, saiu de um jogo da NFL depois que alguns jogadores se ajoelharam.