Jornal do Brasil

Jazz

Sai o novo álbum duplo do SFJC

Luiz Orlando Carneiro, Jornal do Brasil

Como sabem os mais antenados, o San Francisco Jazz Collective (SFJC) é um oiteto criado em 2004, e mantido pela organização SF Jazz – correspondente, na West Coast, ao Jazz at Lincoln Center, em Nova York.

O conjunto é formado, sempre, por instrumentistas da “Primeira Liga” que sejam também hábeis arranjadores, e reúne-se anualmente, na primavera, quando são ensaiadas composições de seus integrantes e recriadas peças de um dos “grandes” do jazz moderno. Os frutos desse trabalho são apresentados em concertos, e gravados ao vivo. No primeiro ano, o grupo dedicou-se à obra de Ornette Coleman. Nos anos seguintes, os mestres eleitoses para os concertos registrados em discos foram, entre outros, John Coltrane, Herbie Hancock, Thelonious Monk, Wayne Shorter e Horace Silver..

Os atuais membros do SFJC são: Miguel Zenón (sax alto), o único do time original; David Sánchez (sax tenor); Sean Jones (trompete); Robin Eubanks (trombone); Warren Wolf (vibrafone); Edward Simon (piano); Matt Penman (baixo); Obed Calvaire (bateria).

Desta vez, o oiteto celebra a música de Miles Davis
Desta vez, o oiteto celebra a música de Miles Davis

No ano passado, o músico escolhido para ser revivido na “residência” desse combo de notáveis em San Francisco foi o mitológico Miles Davis. E o álbum duplo intitulado Music of Miles Davis & Original Compositions – registro de apresentações em outubro último no SFJAZZ Center – já está disponível no mercado virtual, na íntegra ou fatiado.

Os oito temas famosos de Miles selecionados para o volume nº 1 foram os seguintes: So what (6m15) e All blues (9m35), do antológico LP Kind of Blue (Columbia, 1959); Nardis (6m20), 1958, também da fase modal do trompetista, mas que foi celebrizado pelo pianista Bill Evans; Milestones (7m55), da sessão do mesmo nome, igualmente de 1958; Teo (8m15), do LP Someday My Prince Will Come(Columbia, 1961); Joshua (8m25), escrito por pelo pianista Vic Feldman, mas que o trompetista “formalizou” em Seven Steps to Heaven(Columbia, 1967); Bitches Brew (10m50), de 1970, e Tutu (7m25), de 1986, registros muito populares do rock jazz.

Estas oito faixas do novo lançamento da SFJC foram arranjadas, cada uma, por cada um dos integrantes do extraordinário oiteto, na mesma ordem dos temas acima relacionados: Sean Jones, Edward Simon, Miguel Zenon, Matt Penman, David Sánchez, Warren Wolf, Obed Calvaire e Robin Eubanks.

Merecem realce todo especial as recriações de: So what, que começa com a introdução do duo piano-baixo da versão original, mas tem o tempo dobrado, com solos instigantes do trombonista Eubanks e do pianista Simon; Nardis, apresentada e concluída em clima balcânico, e tendo como “miolo” um diálogo célere entre o sax de Zenon e o vibrafone de Wolff.

O volume nº 2 de Music of Miles contem outras oito faixas, composições originais de cada um dos integrantes do oiteto SFJC, inspiradas no espírito do legado milesiano: HH (Sean Jones), Shields green (Eubanks), Tribe (Zenón), Canto #1 (Sánchez), In the heat of the night(Warren Wolf), Feel the groove (Edward Simon), Your turn (Matt Penman), 111 (Obed Calvaire). 

(Vídeo com a interpretação ao vivo de So what pode ser apreciado em:

http://www.jeffcenter.org/sfjazzcollective)