Jornal do Brasil

Jazz

Herbie Nichols: Uma consagração tardia

Luiz Orlando Carneiro, Jornal do Brasil

“Algo extraordinário finalmente ocorreu com Herbie Nichols. O pianista (1919-1963) foi introduzido no Hall of Fame da revista DownBeat mais de 50 anos depois da sua prematura morte causada por leucemia, na idade de 44 anos”.

Esta é a abertura da apresentação da 65ª eleição anual dos críticos de jazz da chamada “Bíblia do Jazz” escrita pelo editor Bobby Reed, na edição de agosto próximo, já disponível na internet.

Tal consagração tardia de Herbie Nichols deveu-se ao chamado “comitê dos veteranos”, integrado por 35 dos 155 críticos de jazz do mundo todo, que votaram no referendo que seleciona também os melhores músicos e os álbuns de destaque do ano-base (maio 2016-maio 2017). Na votação geral, Don Cherry (1936-1995) – o trompetista (pocket trumpet) e parceiro do genial Ornette Coleman na fundação do free jazz – foi o escolhido para ingressar no Hall of Fame. (Ornette lá já está entronizado desde 1969).

Pianista-compositor foi introduzido no Hall of Fame da DownBeat, mais de 50 anos depois de sua morte
Pianista-compositor foi introduzido no Hall of Fame da DownBeat, mais de 50 anos depois de sua morte

Nichols foi um pianista-compositor único, muito original. Dois anos mais moço que Thelonious Monk, acabou ofuscado pela arte subversiva deste canonizado “anacoreta” do bebop, em consequência de problemas pessoais e por falta de exposição nos clubes de Nova York. Era um músico ouvido, respeitado e comentado apenas pelos insiders. Gravou somente três LPs em trio (com os bateristas Art Blakey ou Max Roach) para o renomado selo Blue Note: The Prophetic Herbie Nichols, Vols. 1 e 2 (1955) e Herbie Nichols Trio (1956).

Muitas de suas composições tinham títulos tão excêntricos como a música que propunham: Cro-Magnon nights, Amoeba's dance, Riff primitif. Os vanguardistas Roswell Rudd (trombone) e Steve Lacy (sax soprano) fizeram, nos anos 80, algumas escavações na obra de Nichols. Mas os principais responsáveis pela recuperação da “biblioteca” do agora novo “imortal” do Hall of Fame da DownBeat foram o pianista Frank Kimbrough e o baixista Ben Allison. À frente do Jazz Composers Collective, eles gravaram e lançaram, em 2001, o extraordinário álbum The Herbie Nichols Project/Strange City (Palmetto Records).

Nas liner notes deste CD, Kimbrough e Allison escreveram: “Herbie Nichols passou a maior parte de sua vida profissional lutando para sobreviver, muitas vezes acompanhando músicos desconhecidos, comediantes e strippers em bicos por Nova York. Mas apesar da falta de oportunidades para se apresentar e registrar a sua música, e sem o benefício de um conjunto fixo, ele conseguiu descobrir e manter uma voz pessoal, e desenvolver um conjunto de obras de notável originalidade”.

(O tema mais conhecido de Herbie Nichols, Lady sings te blues, e outras faixas por ele gravadas para a Blue Note podem ser ouvidas aqui