Jornal do Brasil

Jazz

Bill Charlap: 'Uptown, Downtown'

Luiz Orlando Carneiro, Jornal do Brasil

O pianista Bill Charlap é reverenciado pelos jazzófilos mais exigentes como sinônimo de refinamento. Ele cultiva, como nenhum outro, o precioso legado melódico preservado no chamado Great American Songbook, do qual ficou íntimo desde criança. Sua mãe, a vocalista Sandy Stewart, teve algum sucesso no período 1960-70, quando atuou ao lado de astros do porte de Bing Crosby e Benny Goodman. Seu pai, Moose Charlap, era compositor de musicais da Broadway, dentre os quais o premiado Peter Pan(1954-55). Além disso, Charlap nunca escondeu a sua admiração por Bill Evans, Hank Jones e Tommy Flanagan, que já eram estrelas do jazz piano quando ele nasceu em Nova York. 

Nos últimos 15 anos, Bill Charlap enriqueceu sua discografia com quatro álbuns em trio, sempre na companhia do baixista Peter Washington e do baterista Kenny Washington (não são parentes apesar do mesmo sobrenome): Stardust(2002), com temas de Hoagy Carmichael; Somewhere: The Songs of Leonard Bernstein(2004); PlaysGeorge Gershwin: The American Soul(2005); Notes from New York (2015). Os três primeiros foram editados pela Blue Note, o último pela Impulse.

Aos 50 anos, o refinado pianista recria peças antigas do 'American Song Book'
Aos 50 anos, o refinado pianista recria peças antigas do 'American Song Book'

O consagrado pianista de 50 anos já está de volta ao catálogo da etiqueta Impulse, ao lado dos mesmos partners, no CD Uptown, Downtown, que foi “oficialmente” lançado este mês, numa “residência” de uma semana do trio no Village Vanguard – aquele basement que é, até hoje, o “santuário” do jazz de Nova York.

Sobre esta nova seleção de nove temas Charlap comentou: “Trabalhamos juntos há 20 anos, mas cada vez que tocamos sinto-me como se fosse nosso primeiro encontro”.

E realmente, mesmo aqueles que conhecem e apreciam os discos anteriores dessa trinca de ases terão o prazer de degustar como novidade o que se pode qualificar de “old wine in a new bottle” como se fosse um registro de músicos bem mais jovens, ávidos de descobertas melódico-harmônicas – e também rítmicas – a partir de antigos standards.

A dinâmica faixa-título (6m) do novo álbum foi escrita por Stephen Sondheim para um musical da Broadway da década de 1970. Spring can really hang you up the most (7m55) é uma canção de 1955 que apareceu em LPs de Betty Carter e Ella Fitzgerald. The one I love belongs to somebody else (5m), de Isham Jones, é da década de 1920, e foi “desenterrada” com sucesso por Frank Sinatra e Doris Day há mais de meio século. There's a small hotel (6m40), de Richard Rodgers, de 1936, virou jazz standard a partir de gravações de Oscar Peterson, Stan Getz e Chet Baker, entre outros. I'm all smiles (7m25), de Michael Leonard, também tema de um musical da Broadway de 1965, foi interpretado em álbuns dos pianistas Hampton Hawes, Tommy Flanagan e Hank Jones.

O trio de Bill Charlap, em Uptown, Downton, lembra-se ainda de Duke Ellington numa breve versão de Sophisticated Lady (3m15). E surpreende ao recriar esquecidos originais de três mui saudosos jazzmenCurtains (7m), de Gerry Mulligan; Satellite (4m20), do saxofonista alto Gigi Gryce; Bon Ami (6m45), do guitarrista Jim Hall.

(Samples de Uptown Downtown podem ser ouvidos em: www.highresaudio.com/en/album/view/swp9eo/bill-charlap-trio-uptown-downtown)

(A faixa-título está em: itunes.apple.com/ca/album/uptown-downtown/id1265237243)