Rio

Com entrada franca, Jardim Botânico abre seus portões para comemorar 210 anos

Jornal do Brasil

O Jardim Botânico abre seus portões para comemorar 210 anos de fundação, hoje, cheio de novidades. Excepcionalmente com entrada franca, os visitantes vão encontrar o parque renovado, com um pacotão de presentes que inclui facilidades para compra de ingressos;  maior cobertura wi-fi; um aplicativo de visita interativa; lançamento de medalha e selos comemorativos; e novas trilhas. Serão inaugurados os Caminhos do Sagrado, um trajeto que inclui o Jardim Bíblico — que reabre reformado, com placas informativas sobre as espécies ali expostas —, e duas novas trilhas: a Indígena e a Africana. 

O Jardim Bíblico guarda sete plantas citadas na Bíblia, como a oliveira (Olea europaea L.) e a arruda (Ruta graveolans L.). Cada placa indica o trecho onde a planta é mencionada, com a referência do livro, capítulo e versículo correspondente. Na Trilha Africana, as placas indicam o nome e o uso de cada planta nas religiões africanas ou afro-brasileiras — tanto espécies originárias da África, como a noz-de-cola (obi) e o flamboyant, quanto as brasileiras adaptadas aos rituais, como a gameleira. Na Trilha Indígena, os visitantes terão informações sobre 17 espécies, com seus usos tradicionais e recentes, como a fabricação de arcos de violino com pau-brasil e a produção de cosméticos.

O lago com o pescador e a cabana amazônica

Esse périplo poderá ser feito também de maneira virtual. Os usuários de internet poderão baixar o aplicativo “Jardim Digital”, desenvolvido pelo projeto “Transformação Digital e Educação Ambiental do Jardim Botânico do Rio de Janeiro”, com recursos da Fundação Banco do Brasil (R$ 3,1 milhões) e do próprio Jardim Botânico (R$ 300 mil). Disponível para os sistemas iOS e Android em  smartphones e tablets, o app oferece informações sobre trilhas, plantas, animais e monumentos, além de um mapa com a localização das principais atrações e pontos de interesse. Uma das ferramentas será a visitação por meio de realidade virtual, com roteiros em 360º pelas trilhas locais e com informações relevantes de educação ambiental, que poderão ser acessados, de forma lúdica e didática, por educadores e alunos de escolas distantes.Com a expansão da cobertura da rede wi-fi, a ferramenta também poderá ser baixada e usada em qualquer ponto do Jardim. Os desenvolvedores do aplicativo prometem uma segunda versão até dezembro, que trará jogos interativos sobre a flora e a fauna dos ecossistemas.

A medalha de bronze que a Casada Moeda lança hoje, com o lago e o cômoro de Frei Leandro

Entre as novidades que marcam a data, o Jardim Botânico anuncia um novo sistema de circulação dos carrinhos elétricos, em que os visitantes poderão descer nos pontos de parada, aproveitar cada atração com tranquilidade e retomar o passeio no carrinho seguinte, que passará a cada 30 minutos. Segundo a administração, isso possibilitará ao serviço atender a um número maior de pessoas. Está prevista também a instalação de um novo sistema de controle de acesso das catracas, para agilizar a entrada e a saída do parque.

Outra comodidade anunciada diz respeito a uma das reivindicações mais antigas dos frequentadores: a compra de entradas por meio de cartões de débito de todas as bandeiras. Aos 210 anos, o Jardim  Botânico se torna o primeiro órgão público federal a aceitar essa forma de pagamento. Estão sendo estudadas ainda a compra de ingressos pela Internet, aplicativo e cartão de crédito.

Os festejos incluem o lançamento de selos e medalhas comemorativas dos 210 anos. Os Correios criaram um selo e um carimbo personalizados da data, com a imagem de uma vitória-régia, espécie que, assim como as palmeiras-imperiais, é uma das principais atrações do parque. O selo estará à venda nas agências dos Correios e na lojinha da Associação de Amigos do Jardim Botânico. A Casa da Moeda cunhou uma medalha de bronze com a paisagem que reúne o Lago e o Cômoro Frei Leandro e a vitória-régia, que será vendida a R$ 214.