Rio

Marcelo Freixo corrige reportagem do JB

Jornal do Brasil

O deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL) disse ontem que, diferentemente do que publicou na edição de ontem, o JORNAL DO BRASIL, jamais declarou que  “emedebistas do Rio teriam tramado crime”. Os emedebistas em questão são Jorge Picciani, Paulo Melo e Edson Albertassi, presos no contexto da Operação Lava Jato. Freixo esclarece que, nesse caso, confirmou uma linha de investigação já existente na Polícia Civil, na qual se apura a possibilidade de os deputados emedebistas terem participação no assassinado da vereadora do PSOL Marielle Franco.  

O deputado estadual do PSOL gravou um vídeo na rede social, no qual se mostrou indignado com a reportagem do JB. “É muito importante a elucidação desse crime, e isso  precisa fazer com que qualquer suspeita seja investigada. Em nenhum momento, eu nem ninguém do PSOL afirmamos que um grupo ou outro é suspeito ou mais provável ter matado. A gente não faz isso, porque a gente não é irresponsável. A gente está acompanhando as investigações, na medida do possível, já que elas são fechadas, e corretamente fechadas”, disse Freixo. 

No vídeo, o parlamentar acrescentou: “Nós sabemos que existe uma investigação da Polícia Civil que recai sobre deputados do PMDB envolvidos na Lava Jato. Isso não quer dizer que esses deputados cometeram crime,  como (diz) esta matéria que saiu no JORNAL DO BRASIL suscita: Freixo diz que medebistas do Rio teriam tramado crime”. Para Freixo, trata-se de uma irresponsabilidade jornalística. “Esta é uma linha de investigação da Polícia Civil. Nos cabe a pressão sobre a Polícia Civil para que essa linha seja investigada, assim como qualquer outra.