Jornal do Brasil

Sociedade Aberta

A vontade de transparência

Tarcisio Padilha Junior, Jornal do Brasil

As empresas estão entregando à terceirização uma parte crescente dos processos de produção e gestão. E, ao mesmo tempo, estão buscando saber quais atividades sabem gerir melhor do que qualquer parceiro externo. Em um mundo onde a complexidade se decompõe em elementos cada vez mais simples, tal clareza é apreciada pelos investidores – estes aplicam mais facilmente seu dinheiro em empresas cuja atividade compreendem. 

Essa transformação é consequência de uma melhor compreensão da natureza do poder. Os dirigentes de empresas modernas não têm qualquer pretensão de se apropriar dos saberes de todos os empregados. Aplicando as leis da física ao domínio do conhecimento, sabem através da prática que a interação o valoriza: fazer com que a cada saber corresponda um poder e todos sejam ligados entre si por sistemas de informação eficazes.

A opção que a empresa tem de fazer entre o presente e o futuro leva em conta a criação de novos produtos que criarão novos mercados e que, juntos, determinam a imagem da empresa, tanto para os que trabalham nela como para seus parceiros externos. As escolhas que definem hoje em dia o papel da direção de uma empresa são exatamente as mesmas que cada comunidade humana tem de fazer, e que a distingue das outras comunidades.

A vontade de transparência, a partir do momento em que é reconhecida como princípio, dificilmente estabelece os próprios limites. Fato é que os contornos da comunidade e a relação entre a comunidade e os indivíduos que a compõem estão sendo modificados pela importância crescente da informação na criação de valor.

A maior parte das informações é acessível a terceiros. Mais do que uma ou outra informação separada, são os sistemas de informação que, ordenando e mobilizando a informação de uma forma específica, que constituem o principal segredo. Mesmo com seu campo de atuação mais restrito, continuam a ser a condição da concorrência.

O capital a proteger é o conhecimento que a empresa adquiriu, a partir de sua atividade, sobre o meio que a cerca. 

* Engenheiro