Jornal do Brasil

Hildegard Angel

Consolidando amizades

Jornal do Brasil

Macaque in the trees
1João Artagão, Ricardo Castro, embaixador Luiz Fernando de Athayde, o anfitrião do jantar na Praia do Flamengo, Luís Phelippe Índio da Costa e Tania Drummond. 2 Vanja Chermont de Britto, embaixatriz Diana Macedo Soares e Virginia Hölck. 3 Raquel e Claudio Gutierrez, cônsul-geral da Argentina. 4 Embaixatriz Eillen de Athayde recebeu em noite de amizades, e Lucia Vidigal. 5 Mirian de Artagão e Yvonne Bezerra de Mello (Foto: Marco Rodrigues)

FUNERAL DE ARETHA

Macaque in the trees
O chapéu de Cicely Tyson, atriz de House of Cards, causou impacto ontem no funeral de Aretha Franklin. Mal sua imagem apareceu no vídeo, vários sites da internet já comentavam seu chapéu apoteótico (Foto: Foto Google/Detroit Free Press/Kirthmon Dozier)

Com transmissão ao vivo pela CNN, foi show o funeral ontem de Aretha Franklin, oficiado pelo reverendo Jesse Jackson. Igreja toda decorada com enormes buquês de rosas lilás em profusão, todas as estrelas negras da música americana presentes, com direito a tributo musical de grandes cantores, como Chaka Khan e Ariana Grande. Smokey Robinson também cantou, e ao final jogou um beijo para o caixão da artista em frente do púlpito. Ron Isley falou contando que iriam fazer juntos o próximo disco e cantou. Na primeira fila, Oprah Winfrey, Hillary e Bill Clinton, o ex-presidente, que fez um belíssimo e comovente elogio de Aretha no altar. Clive Davis, outro que falou lindo. Mas o ponto alto do espetáculo foi o chapéu preto da atriz Cicely Tyson, desabado até os ombros e o meio das costas, em imensos babados godês de crinol. Por fim, causou indignação nas mídias sociais o visível assédio do bispo Charles H. Ellis III, passando a mão boba no seio de Ariana Grande, durante seus serviços fúnebres. O vídeo circula. #Respect é o que Aretha pedia, e todas nós mulheres exigimos!

TRIBUTO A ROGÉRIA

Se os americanos têm vasta tradição de shows póstumos, isso aqui raramente ocorre. Mas semana que vem, 1 ano de morte da maravilhosa Rogéria, a diva será homenageada com o musical “Um ano sem Rogéria”, no Teatro Rival Petrobras. Sob a direção de Cesar Sepúlveda, estarão em cena Jane di Castro, Eloina, Camille K, Divina Nubia, Divina Aloma, Karina Duque Estrada, Beth Guilher, Marisa Alfaya, Eliana Pittman, Paula Goodarth, Ellen de Lima, Marcio Gomes, Gottsha, Vitoria Virtus, Leda Lucia, Helcio Hime e Fernando Reski. A renda vai para a construção do mausoléu de Rogéria em Cantagalo, onde nasceu e já está sepultada.

CIDADE DO SAMBA

Com dois mil habitantes, a minúscula Sambaetiba, distrito de Itaboraí, tem samba no nome e não é à toa. O morador tem que sambar muito para pagar a conta dos pedágios espalhados pela rodovia RJ 116, onde fica o município. É pedágio pra ir ali no posto de saúde, outro pra dar queixa na delegacia, mais um pra dar uma chegadinha na farmácia. Tem pedágio até para ir de Sambaíba ao centro de Itaboraí, onde estão os serviços essenciais à sobrevivência dos moradores.

Compadecido, o deputado carioca André Ceciliano apresentou um Projeto de Lei isentando os sambaibenses dos pedágios na RJ 116. Basta comprovar, junto à concessionária da estrada, sua residência fixa no distrito e cadastrar seus veículos.

MODA GRAFITE

Mary Zaide, sempre ligada no contexto, contratou o grafiteiro Ismael Vagner Lima, conhecido como Smael, para fazer a direção de arte da campanha de verão 2019. A marca carioca Mary Zaide tem mais de 25 anos de história unindo moda e arte em sua moda.

ÍNDIA VIRTUAL

Uma das principais ativistas em defesa do Parque Nacional do Xingu é uma indígena youtuber, Ysani Kalapalo. Há duas semanas ela milita na rede cobrando das autoridades solução para um incêndio devastador no Parque, no município de Canarana, a 838 km de Cuiabá.

Ysani já sensibilizou várias celebridades e ativistas sociais com as imagens impressionantes da destruição que ela posta. O Corpo de Bombeiros diz que uma equipe já foi para lá, mas ainda não conseguiu debelar as chamas porque o local é muito longe e, a área incendiada, imensa.

TIRO PELA CULATRA

Falei aqui que o boicote às Lojas Americanas foi tamanho que a rede correu a cancelar a venda das camisetas contra Lula, explorando seu defeito físico. Em nota controversa, a Americanas informou que “desautoriza a venda de qualquer material de campanha política”. O estrago na imagem da empresa, contudo, já estava feito. O Twitter amanheceu com mensagens que reiteravam o boicote.

Jorge Lemman, presidente da empresa, tem o direito a suas preferências políticas, sejam elas o MBL ou o Bolsonaro. Mas pareceu ter esquecido de seu lema, dito à exaustão em suas entrevistas: “Nosso negócio é gente”. O negócio das Americanas é vender para o público C e D. Gente, justamente, que mais vota em Lula. A bala perdida foi e voltou.

BONS TEMPOS

Minc sabe agradar seu eleitor. Levou um monte de panfletos pela legalização da maconha, em seu corpo a corpo na Praça da Cantareira, onde rola a tradicional roda cultural de hip hop de Niterói, e fez a alegria da juventude descolada de Nikiti. Lá se concentram vários bares e casas de festas LGBT, além de ser ponto de encontro dos alunos da UFF após as aulas. Minc lembrou de seus bons tempos de liderança estudantil.

COCA QUENTE

A Coca-Cola é um mistério. Quanto mais o consumidor é informado das possíveis contraindicações do refrigerante, mais seu império cresce. Em março, ela comprou da Unilever a bebida Ades, à base de soja, vendida em Brasil, México, Colômbia etc. Ontem, a gigante americana fez nova aquisição: o Costa Coffee, maior rede de cafeterias do Reino Unido, por valor em torno de US$ 5,1 bilhões. Com isso, segundo comunicado do CEO James Quincey, a Coca-Cola conquista novas possibilidades globais. As bebidas quentes são dos poucos segmentos em que a empresa não tem uma marca global.

ALTO NÍVEL

A UFRJ entra na campanha presidencial, qualificando o debate, através da newsletter “Adufrj nas Eleições 2018”, elaborada por sua associação de professores. Já começou a ser distribuída, com dois artigos por semana, até o fim do período eleitoral, elaborados por alguns dos mais importantes docentes e pesquisadores da maior universidade federal do Brasil.

Os articulistas irão aprofundar temas estratégicos na campanha, como economia, saúde, segurança, corrupção, relações internacionais, energia, privatizações, cultura, gênero e etnia. Além, é claro, de educação, pesquisa, ciência, tecnologia e inovação.

AS FAVORITAS DE HARRY

Acabam de ser divulgadas pelo Daily Mail imagens inéditas do quarto do Príncipe Harry, quando ele estudou na Instituição Berkshire, de 1998 a 2003. Em seguida a isso, a atriz negra americana Halle Berry postou uma foto do dormitório de Harry, com um big pôster dela na parede, e o filho de Diana sentado à cama.

E a Inglaterra ficou sabendo que Berry foi a paixão platônica do príncipe adolescente, que não desistiu de uma história de amor com roteiro hollywoodiano, e se casou justamente com a atriz Meghan Markle.

DINES E FRIAS

Em São Paulo, quinta-feira, no Hotel Renaissance, entrega dos Prêmios ANJ de Liberdade de Imprensa, e o jornalista Marcelo Rech discursou enfatizando o combate às fake news, ao ser nomeado para outro mandato como presidente da Associação Nacional dos Jornais (ANJ).

Foram homenageados postumamente os jornalistas Alberto Dines e Otavio Frias Filho. Festa de peso: presentes, Jayme Sirotsky, presidente emérito do Grupo RBS; Francisco Mesquita Neto, vice-presidente da ANJ; Michael Golden, da Associação Mundial de Jornais e Editores de Notícias (WAN); Vincent Peyrègne, CEO da WAN; Maria Cristina Frias, irmã de Otávio e nova diretora de redação da Folha de São Paulo; e a viúva de Dines, Norma Couri.

ACADEMIA DE LETRAS

O escritor José Guilherme Vereza lança, dia 11, na Travessa do Shopping Leblon, seu romance “O Jardim dos anjos”, finalista no Prêmio Rio de Literatura 2015 da Cesgranrio. A obra aborda temas como aborto, estupro e pedofilia. No dia 25, será o lançamento em São Paulo, com direito a sarau cultural da Martins Fontes.

José Guilherme estreou como romancista com “Corações entre pernas”, publicado pela BookStrat em 2016. Curioso é a família do autor ser formada quase que só por escritores. Seu avô, Cyro, era escritor de teatro de revista; a mãe, Lucy Serrano Vereza, era professora, e escreveu seu primeiro romance aos 85 anos. Dos quatro filhos, o mais velho, João, já ganhou Prêmio Sesc de Literatura, e o segundo, Chico, é redator de programas de TV de humor. A filha mais nova, 12 anos também tem gosto pela escrita. É praticamente uma AFL - Academia Familiar de Letras.

----------

Pedro Malan lançou seu novo livro, “Uma certa ideia de Brasil: Entre passado e futuro”, na Travessa do Leblon, com direito à presença de tucanos de alta plumagem. A obra reúne artigos escritos ao longo de 15 anos pelo ex-Ministro da Fazenda (1995 - 2003) e ex-presidente do Banco Central (1993 - 1994).

-----------

Com João Francisco Werneck



Tags: cultura

Recomendadas para você