Internacional

Áustria defende ideia de construir centros para migrantes fora da UE

Agência AFP

A Áustria e outros países da União Europeia estudam a possibilidade de construir centros para migrantes foram do bloco para "abrigar e oferecer proteção, mas não uma vida melhor", afirmou na terça-feira à noite o chanceler Sebastian Kurz.

Em uma entrevista ao canal de televisão ORF, Kurz confirmou que "há esforços para criar fora da Europa centros de proteção para abrigar refugiados, oferecer uma proteção, mas não uma vida melhor na Europa central".

Kurz, um conservador que governa em aliança com a extrema-direita, não explicou para quem seriam destinados os centros, mas seu colega dinamarquês, Lars Lokke Rasmusen, indicou na semana passada que conversava com alguns países, entre eles a Áustria, sobre a criação de "centros comuns" destinados aos migrantes que não se qualificam para obter asilo na UE ou cujas solicitações foram rejeitadas.

"É um projeto no qual trabalhamos com poucos países de maneira muito confidencial", disse Kurz.

Entre os países em que poderiam ser construídos os centros, a imprensa austríaca citou nos últimos dias a Albânia.

"Veremos", afirmou o chanceler.

A coalizão que governa a Áustria desde o fim de 2017 estabeleceu como uma de suas prioridades adotar uma política migratória restritiva.

O governo deseja tornar a Áustria menos atrativa para os demandantes de asilo e pretende aumentar a expulsão das pessoas que tiveram os pedidos rejeitados, um objetivo contrariado pela ausência de acordos de readmissão com vários países de origem.

smk/cac/pa/zm/fp