Jornal do Brasil

Sol Maior

Festa para Dona Leopoldina tem concertos lotados

Maria Luiza Nobre, Jornal do Brasil

Dois lindos concertos marcaram o final de semana no Rio de Janeiro comemorando os 200 anos da chegada da Princesa Leopoldina ao Brasil.

A Série Música no Museu produziu essa façanha com o apoio do Governo da Áustria, que a escolheu para esta comemoração histórica com o patrocínio da Vale e da Compactor, além do apoio da Fundação  Cesgranrio. 

Foram  dois concertos, ambos lotadissimos, o primeiro no sábado, no Palácio São Clemente, atual Consulado Geral de Portugal e o segundo no domingo dia 19 na Igreja N.Sra.da Glória do Outeiro com a Academia Leopoldina, conjunto formado por dois violinos, viola, violoncelo, piano, canto e narrador, criado em 2012 e vem sendo gerenciado pelo violinista e musicólogo Herbert Lindsberger, que decidiu e se dedicou a contar a história de duas grandes personalidades, Leopoldina da Áustria, filha do Imperador Francisco I, que se casou com Dom Pedro de Bragança, reverenciada como a mãe dos brasileiros e também  a grande responsável pela independência do Brasil de Portugal, e ainda o compositor de Salzburgo, Sigmund Neukomm, que apesar de ter composto mais de 2000 obras continua um desconhecido em sua terra natal.

A Academia Leopoldina faz um digno trabalho, o que ficou comprovado e reconhecido pela grande aceitação do público, em concertos não só na Europa como agora no Brasil, sob o título "Saudade – Rendez-vous no Brasil", evento que ganhou, em 2016, o Prêmio Cultural do Ano da cidade de Salisburgo. Para melhor entendimento do público, foi feita especialmente uma versão para as comemorações dos 200 anos da chegada da Imperatriz Leopoldina ao Brasil, com subtítulos em português.

A Academia Leopoldina-Viena sob a direção do violinista Herbert Lindsberger agregou a presença de músicos brasileiros, como os violinistas Alessandro Borgomanero e Andreia Carizzi, o violoncelista Hugo Pilger, a pianista Lúcia Barrenechea e a cantora Luiza Lima, que leu textos das cartas de Leopoldina, assim como textos sobre Neukomm de Herbert Lindsberger.

No consulado, o programa formado com as obras de Neukomm, Mozart, Schubert, J. und M. Haydn, recebeu os aplausos do público, especialmente com a presença dos anfitriões, os Embaixadores Jaime Leitão  e Maria Eduarda, ele Cônsul de Portugal no Rio de Janeiro, ainda os casais Heinz Gruber, Fernão Bracher, antigo presidente do Banco Central, Ana Maria Tornaghi entre muitos outros.

Mais homenagens no domingo chuvoso, na Igreja N.Sra.da Glória do Outeiro, onde a Academia Leopoldina, fez um novo concerto, mas dessa vez com outra formação, sem piano e narração, foi executado o Mozart-Requiem, na "Versão para quarteto de cordas, do contemporâneo de Mozart, Peter Lichtenthal.

Emoção pura com a igreja lotada, o concerto contou com mais um membro do Corpo Consular, com a presença do Cônsul Geral da Itália, Ricardo Battisti, das deputadas italianas Adriana Galgano e Renata Bueno, a pianista brasileira Carol Murta Ribeiro e o maestro austríaco Anton Steuxner.

Também foi lançado um  selo comemorativo, no Centro Cultural dos Correios, com a presença da Embaixadora da Áustria no Brasil, Dr. Irene Giner-Reichl, o presidente dos Correios, Guilherme Campos Júnior, o diretor do Museu Histórico Nacional, Paulo Knauss de Mendonça, Diretores do Museu da Marinha, o diretor do Centro Cultural  dos Correios, Ednor Medeiros, e o Superintendente no Rio de Janeiro Cleber Machado.

Começaram, portanto, e com muita festa, os eventos das comemorações dos 20 anos de Música no Museu.